domingo, 22 de julho de 2018

Whoopi Goldberg é acusada de insultar e cuspir em apresentadora de TV


Whoopi Goldberg é acusada de insultar e cuspir em apresentadora de TV

Jeanine Pirro e a atriz protagonizaram uma discussão durante as gravações do programa 'The View'

Whoopi Goldberg é acusada de insultar e cuspir em apresentadora de TV
HÁ 4 HORAS POR NOTÍCIAS AO MINUTO
FAMA BASTIDORES
Aapresentadora Jeanine Pirro revelou recentemente ter sido insultada por Whoopi Goldberg durante o programa de televisão ‘The View’. De acordo com as declarações de Jeanine, os insultos da atriz começaram após uma discussão entre as duas sobre política. Enquanto falavam sobre o Presidente dos EUA, Donald Trump, Whoopi teria cuspido em direção à jornalista e proferido vários insultos.
Whoopi também decidiu falar publicamente sobre a polêmica e contou a sua versão dos fatos: “Ela saiu e podia apenas ter passado por mim. Mas parou, colocou o dedo na minha cara e gritou: ‘Tenho feito mais por vítimas do que você já fez’. E eu disse-lhe algumas palavras que não posso repetir. Sim, eu fiz isso. Mas eu não cuspi na cara dela, não a intimidei. Ninguém a mandou sair dali”, afirmou.

Sob a mira de Cormier, Shogun encara Anthony Smith em busca da quarta vitória


Sob a mira de Cormier, Shogun encara Anthony Smith em busca da quarta vitória

Brasileiro, que foi citado como possível adversário pelo campeão do UFC, lidera o UFC Hamburgo, neste domingo. Glover Teixeira e Vitor Miranda completam trinca brasileira do card


Por Combate.com, Hamburgo, Alemanha
 
Aos 36 anos de idade, Mauricio Shogun, pela primeira vez no Ultimate, soma três vitórias consecutivas. O curitibano - que está sob a mira de Daniel Cormier, atual campeão das categorias meio-pesado e pesado - lidera o UFC Hamburgo, na manhã deste domingo, diante de Anthony Smith, em busca do quarto triunfo seguido.
Shogun, que realizou seu camp na cidade de Maringá (PR), bateu Rogério Minotouro, Corey Anderson e Gian Villante - um a cada ano, desde 2015. O ex-campeão do Ultimate entra em ação pela primeira vez, em 2018, e jura que evita pensar no desafio feito por Cormier.
Maurício Shogun x Anthony Smith: lutadores lideram o UFC Hamburgo, na Alemanha (Foto: Jeff Bottari/Zuffa LLC)Maurício Shogun x Anthony Smith: lutadores lideram o UFC Hamburgo, na Alemanha (Foto: Jeff Bottari/Zuffa LLC)
Maurício Shogun x Anthony Smith: lutadores lideram o UFC Hamburgo, na Alemanha (Foto: Jeff Bottari/Zuffa LLC)
- Fiquei muito feliz com o que ele falou, mas é lógico que meu foco está no domingo. Não posso disputar o cinturão se não vencer o Anthony Smith, um atleta duríssimo.
Sete anos mais novo do que Shogun, Anthony Smith deixou o peso-médio para se arriscar na divisão de cima. O americano atropelou Rashad Evans em seu último compromisso e terá mais um ex-campeão da companhia pela frente.
Na co-luta principal, Glover Teixeira precisou se adaptar ao jogo de Corey Anderson. Isto porque, seu adversário, inicialmente, seria Ilir Latifi. O mineiro, no entanto, garante que não sofreu tanto com a alteração.
Mineiro teve que adaptar seu jogo após a mudança de oponente (Foto: Jeff Bottari/Zuffa LLC)Mineiro teve que adaptar seu jogo após a mudança de oponente (Foto: Jeff Bottari/Zuffa LLC)
Mineiro teve que adaptar seu jogo após a mudança de oponente (Foto: Jeff Bottari/Zuffa LLC)
- A gente teve que adaptar logo algumas coisinhas que estávamos treinando para o Latifi, mas são coisas simples, como a distância, porque o Latifi é bem mais baixo. No mais, foi tudo tranquilo, o camp foi bom, me preparei em todas as partes, então a troca não foi aquela coisa para deixar a cabeça ruim - explicou o algoz de Misha Cirkunov, em dezembro do ano passado.
Corey Anderson, após sofrer dois nocautes implacáveis, se recuperou na última vez que se apresentou no octógono, em abril. "Overtime" superou Patrick Cummins nos pontos e assegurou seu emprego no Ultimate.
Na antepenúltima peleja desta edição, Vitor Miranda mede forças com Abu Azaitar, em confronto válido pelo peso-médio. O catariense amarga dois reveses seguidos, enquanto o oponente, ex-atleta do WSOF, fará sua estreia na companhia.
Combate transmite o UFC Hamburgo ao vivo e com exclusividade neste domingo a partir de 11h20 (horário de Brasília). O Combate.comacompanha em Tempo Real e exibe as duas primeiras lutas do card preliminar em vídeo ao vivo. Confira o card completo:
UFC Hamburgo22 de julho de 2018, na Alemanha
CARD PRINCIPAL (a partir de 15h de Brasília):Peso-meio-pesado (até 93,4kg): Maurício Shogun (93,4kg) x Anthony Smith (93kg)
Peso-meio-pesado (até 93,4kg): Glover Teixeira (93,4kg) x Corey Anderson (92,5kg) 
Peso-médio (até 84,4kg): Vitor Miranda (84kg) x Abu Azaitar (84kg)
Peso-pesado (até 93,4kg): Marcin Tybura (111,5kg) x Stefan Struve (119,7kg)
Peso-leve (até 70,8kg): Nasrat Haqparast (70,3kg) x Marc Diakiese (70,8kg)
Peso-meio-médio (até 77,6kg): Danny Roberts (76,7kg) x David Zawada (77,6kg)
CARD PRELIMINAR (a partir de 11h30 de Brasília):Peso-leve (até 70,8kg): Nick Hein (69,4kg) x Damir Hadzovic (70,3kg)
Peso-meio-médio (até 77,6kg): Emil Meek (77,10kg) x Bartosz Fabinski (77,10kg)
Peso-pena (até 66,2kg): Khalid Taha (65,8kg) x Nad Narimani (66,2kg)
Peso-meio-pesado (até 93,4kg): Justin Ledet (92,5kg) x Aleksandar Rakic (93,4kg)
Peso-galo (até 61,7kg): Davey Grant (61,2kg) x Manny Bermudez (61,2kg)
Peso-meio-pesado (até 93,4kg): Jeremy Kimball (92,5kg) x Darko Stosic (92,5kg)
Peso-galo (até 61,7kg): Damian Stasiak (60,3kg) x Pingyuan Liu (61,7kg)
Globo esporte 

Savio endiabrado, movimentação e defesa protegida: por que o Fla venceu o clássico


Savio endiabrado, movimentação e defesa protegida: por que o Fla venceu o clássico


Rubro-Negro desarma sistema defensivo do Botafogo com opção de Barbieri por prata da casa, mas perde várias chances de ampliar a vantagem por não definir contra-ataques


Savio endiabrado, movimentação e defesa protegida: por que o Fla venceu o clássico

Por Edgard Maciel de Sá e Igor Rodrigues, Rio de Janeiro
 
Melhores momentos de Flamengo 2 x 0 Botafogo pela 14ª rodada do Campeonato Brasileiro
Em sete minutos - e tranquilidade nos 83 restantes -, o Flamengo venceu o Botafogo, neste sábado, no Maracanã, e manteve a liderança do Brasileirão. O resultado foi construído com movimentação dos homens de frente, em especial Matheus Savio, opção de Maurício Barbieri para a vaga de Marlos, cortado por lesão.
Dominante, a equipe aproveitou a fragilidade do Botafogo, teve em Cuéllar novamente uma referência defensiva, mas perdeu várias chances de ampliar a vantagem em contra-ataques rápidos, que na maioria das vezes não terminou em finalizações.
SURPRESA DA CASA
Matheus Savio pedala antes de emendar o chute para o gol que abriu o placar no sábado (Foto: Gilvan de Souza/Flamengo)Matheus Savio pedala antes de emendar o chute para o gol que abriu o placar no sábado (Foto: Gilvan de Souza/Flamengo)
Matheus Savio pedala antes de emendar o chute para o gol que abriu o placar no sábado (Foto: Gilvan de Souza/Flamengo)
Sem Marlos, fora do clássico por lesão, Barbieri escolheu Matheus Savio para começar o jogo. E a solução caseira surtiu efeito imediato - até maior que o esperado. "Bem nos treinamentos", segundo o treinador, o garoto de 21 anos desarmou o sistema do Botafogo montado com três volantes - principalmente o lado direito da defesa.
Com precisão na batida - e dose de sorte -, Savio assinou uma pintura para abrir o placar. Mas fez mais do que o golaço. Participou diretamente do segundo gol, infernizou a vida de Luis Ricardo, abriu o jogo pelos lados, segurou bem a bola quando esteve sozinho no ataque e foi, na grande parte do tempo, boa opção para Diego e Paquetá.
FATOR CUÉLLAR
Cuéllar foi preciso na maioria das vezes durante a partida (Foto: Gilvan de Souza/Flamengo)Cuéllar foi preciso na maioria das vezes durante a partida (Foto: Gilvan de Souza/Flamengo)
Cuéllar foi preciso na maioria das vezes durante a partida (Foto: Gilvan de Souza/Flamengo)
A precisão de Cuéllar mais uma vez fez a diferença. Após cumprir suspensão e desfalcar o time na derrota para o São Paulo, o colombiano anulou Leo Valencia, homem responsável pela criatividade no meio alvinegro.
Foram quatro desarmes, duas roubadas de bola e demonstração de leitura de jogo, em especial nas antecipações. O volante, em três oportunidades, matou a saída de bola do Botafogo ainda no campo de defesa do adversário.
Preencheu os espaços vazios e obrigou o Alvinegro a usar a bola áerea como alternativa. Para coroar a atuação, ainda foi importante na saída de bola. Iniciou contra-ataques, com qualidade: foram 59 passes ao longo dos 90 minutos, sendo apenas três sem destino.
MOVIMENTAÇÃO OFENSIVA
Uribe começou o clássico como titular (Foto: Gilvan de Souza/Flamengo)Uribe começou o clássico como titular (Foto: Gilvan de Souza/Flamengo)
Uribe começou o clássico como titular (Foto: Gilvan de Souza/Flamengo)
Barbieri começou o jogo com Diego e Paquetá no meio, atrás da linha de três jogadores: Uribe (pela direita), Savio (pela esquerda) e Guerrero (centralizado). Mas fez o time rodar a todo instante - inclusive reclamou quando isso não acontecia. Os dois gols começaram do lado direito: a primeira bola morreu direto na rede, mas a outra só entrou porque Paquetá pisou na área, como um centroavante, para antecipar Jefferson.
Uribe foi "sacrificado", mas apareceu por vezes no meio, fez proteção de costas e mostrou certa qualidade nos domínios pelos lados, mesmo em atuação discreta. Diego apareceu por toda a faixa do meio e, em alguns momentos, distribuiu passes nos dois lados do ataque. O destaque fica para Savio, que carregou a marcação para a direita em vários momentos e confundiu o trio de proteção alvinegro.
DESPERDÍCIO DE CONTRA-ATAQUES
Flamengo desperdiçou diversas oportunidades de contra-ataque (Foto: Gilvan de Souza/Flamengo)Flamengo desperdiçou diversas oportunidades de contra-ataque (Foto: Gilvan de Souza/Flamengo)
Flamengo desperdiçou diversas oportunidades de contra-ataque (Foto: Gilvan de Souza/Flamengo)
A qualidade do Flamengo, obviamente, ganhou o clássico, mas não foi uma atuação de manual. O resultado, construído logo no início, foi administrado com tranquilidade muito pela falta de criatividade do Botafogo. Além da pouca produtividade, o Alvinegro ainda deixou muito espaços para os contra-ataques rubro-negros, que acabaram mal-aproveitados.
Com velocidade, o Flamengo chegou algumas vezes com superiodade - ou igualdade - númerica ao campo de ataque, mas pecou na hora da decisão e perdeu a chance ampliar a vantagem. Pouco finalizou os lances rápidos, apenas em duas oportunidades com Lucas Paquetá, destacadas por Barbieri na coletiva pós-jogo.
O número de finalizações na partida mostra a falta de ousadia da equipe no quesito: foram apenas oito - cinco no gol. O Botafogo, para efeito de comparação, terminou com 17, mas com péssimo aproveitamento (apenas seis pararam em Diego Alves, uma delas difícil).
REFERÊNCIA DISCRETA
Guerrero não foi brilhante em seu segundo jogo depois do fim da Copa do Mundo (Foto: Gilvan de Souza/Flamengo)Guerrero não foi brilhante em seu segundo jogo depois do fim da Copa do Mundo (Foto: Gilvan de Souza/Flamengo)
Guerrero não foi brilhante em seu segundo jogo depois do fim da Copa do Mundo (Foto: Gilvan de Souza/Flamengo)
O segundo jogo de Guerrero após o fim da Copa do Mundo não foi brilhante. Esperança de gols dos rubro-negros, o camisa 9 mais uma vez apareceu melhor nas proteções de bola, afastado da grande área, do que nas finalizações.
Aliás, finalização, no singular. Foi apenas uma do peruano nos pouco mais de 69 minutos em campo, sem perigo para Saulo (que entrou na vaga de Jefferson). Em alguns momentos, demorou a definir os lances. Participou da boa movimentação do ataque, mas passou longe de ser perigoso. Perdeu número considerável das disputas com Matheus Fernandes e Igor Rabello.
 (Foto: Divulgação) (Foto: Divulgação)
(Foto: Divulgação)
Globo Esporte